sexta-feira, 19 de agosto de 2005

Tristes Alegres

Estão de férias. Sim porque também têm direito a descanso do trabalho árduo de 11 meses (caso o consigam após as férias do ano anterior!).

Entretanto deambulam por quase todo o lado, prestáveis e atenciosos com quem lhes cede um olhar.

Quase sempre os vejo alegres mas sinto que no fundo a sua alma está partida (basta estar atento ao brilho dos seus olhos). Outros não disfarçam a angustia.

Recordam os seus patrões que, embora preocupados, partem de vacances. Alguns têm a sorte de ter patrões interessados no seu bem-estar, chegando-se até ao ponto de lhes dar transporte até uma zona onde, com alguma sorte, conseguem novo emprego (imagine-se). Caso contrário resta a esperança de voltar ao emprego que deixaram.

Percebo e compreendo a posição do patrão. Tem que ser, custa mas tem que ser, senão a empresa pode pôr em causa o seu equilíbrio nos "cash-flow". E empregados destes arranjam-se sempre.

Por outro lado não consigo estar alheio e/ou passar ao lado. Gostaria de empregar na minha empresa mais alguns mas estou sem condições e os que actualmente trabalham para mim são muito conflituosos.

Só me resta ajudar outras empresas, privadas ou estatais, e esperar que todos façam o mesmo.

Lutem pelos Vossos empregados (caso os tenham). Se não têm uma empresa abram-na!

Ajudem por favor, da maneira possível





Vão ver que eles agradecem.




4 comentários:

Miguel de Terceleiros disse...

É sempre bom manifestar interesse pelos empregados, mas uma coisa é certa, se a empresa não tem capacidade para os manter com boas condições mais vale não os contratar. Direi mesmo mais, se não se pode pagar o subsídio de férias é melhor estar quieto!
abraço

Ernesto disse...

pá, eu ainda acredito no mercado... serei burro ou inocente? não sei.
mas acho que uma solução de meio termo é possível...
nesta altura estão todos mal, os patrões e os empregados.

moonj_Rita disse...

Nem sabes: em Agosto estive uns dias no Gêres. Um dia, quando voltava das lagoas, deparei com um saco de ração de animal que tinha sido "ejectado" pela janela de um automével. Aproximei-me para ver o que era e para minha surpresa vejo sair de lá dois pequenos cachorrinhos: absolutamente assustados, absolutamente famintos, absolutamente fatigados, absolutamente impestados de pulgas e claro: absolutamente rafeiros... daí que peguei nas criaturas, demos-lhes banho, comida de um outro cão que tinhamos conosco e levamo-los para o canil de Braga, onde a associação protectora dos animais se encarregaria de tentar encontrar um dono para eles. A "Gerês" e o "Black" (assim decidi denominá-los) eram dois amores de bichinhos e espero verdadeiramente que tenha contribuido para que o seu destino se tenha transformado: para melhor.

noasfalto disse...

Moon: Sorte ainda haver pessoas como vós.
Foi uma acção muito bonita.

Bem hajam