terça-feira, 18 de outubro de 2005

Vantagens e Desvantagens de ser Jornalista (na minha óptica)







Vantagens:

- andar em carros com parabólicas em cima;
- andar em motas atrás de ciclistas;
- passar as filas de trânsito mais rápido que o pessoal parado ;
- correr de um lado para o outro sempre rodeado de colegas que nos querem roubar o lugar ou invejam o nosso microfone;
- Poder dizer “Boa noite, em directo para a ***, como se sente?”
- Viajar de borla;
- Falar com o Jet-Set nacional;
- Interpelar o Sócrates sem o Jaime Gama autorizar;
- Não ter horários;
- Ver jogos de futebol à pato;
- Ver os festivais de verão à pato;
- Poder dizer ao chefe “Tenho que ir à Austrália ver um canguru a cantar”;
- Ser mulher e ter sempre um men com uma câmara ao lado;
- quando apanhar no pêlo não apanhar sozinho;
- não ter que fazer nada e deixar os outros colegas questionarem os entrevistados;
- ser importante e respeitado, mesmo que nos queiram bater;
- ser pivot e poder proferir comentários doutrinais após as notícias (ao menos alguém nos ouve, mesmo que não queira);
- ser alvo de subornos sexuais a troco de trabalho;
- toda a gente andar atrás de nós e abraçar-nos;

Desvantagens:

- levar tiros no cú no Iraque;
- levar pancada dos nn boys;
- levar pancada dos super dragões;
- levar pancada dos que não ficam em casa;
- ser ignorados;
- ouvir o Ferreira Torres dizer mal de nós;
- ouvir o Dias da Cunha dizer mal de nós;
- ser homem e ter um men com uma câmara ao lado;
- ser homem e não poder usar decotes ousados;
- ser homem e não poder tirar os cabelos da boca, em directo, quando está vento;
- ser apedrejado;
- ser mulher e ter que subir na vida com decotes ousados;
- fazer figura de urso e perguntar “como se sente?” a um gajo que foi atropelado por um canguru que cantava.
- não saber ao certo qual o carro da judiciária que traz o suspeito;
- possíveis problemas de coluna após entrevista ao Marques Mendes e aturar o ar angelical dele;
- ninguém acreditar em nós se falarmos com um copo de cerveja na mão e ter de frequentar festas onde as bebidas e as gajas são à pato.
- ter que saber falar português;
- ser portista e ser obrigado a gritar “É golo do Benfica” como se fosse ter um filho;
- ser pivot e não poder ver as notícias que apresenta em directo;
- ser pivot e não poder mudar de canal a meio das notícias;
- ser pivot e ter que ouvir o que nos mandam ler;
- não poder dizer em directo “puta que pariu” ao ouvir um canguru a cantar;
- ser o gajo que segurava o microfone do Valentim Loureiro no discurso da vitória;

9 comentários:

moonj_Rita disse...

Olha, eu cá gostava de ser repórter de programas de viagens. É que é o meu sonho! E só vejo vantagens: viajar á pala, comer de borla, ... e aquelas que apresentam programas de SPA? Aquilo é que é sofrimento: levar massagens todos os dias e ser besuntada em cremes e óleos relaxantes e dormir e comer com vista pro mar e pras montanhas? Que desgosto...ai ai, vou mas é voltar pro programa de cálculo e parar de pensar em parvoíces impossíveis ;)

noasfalto disse...

Moon: Nada é impossível.Se é o teu sonho que esperas?
Força rapariga!

Miguel de Terceleiros disse...

Ainda me lçembrava de mais uma ou duas mas estou muito cansado
Dia duro

Sara MM disse...

:oD

parece que me livrei de boa! É que nem as vantagens parecem ser vantagens!!! ?

Bjs

moonj_Rita disse...

lol. é que é já a seguir! ;)Acho que ñ vão querer uma engenheira civil semi-licenciada a apresentar programa que requerem algum conhecimento jornalístico em canais de televisão internacionais, pelo mundo fora...de qualquer forma envio-lhes o meu curriculum ;) De qualquer forma também já pensei em ser enfermeira, distribuidora de correspondência e veterinária, daí que já ninguém me leva a sério...ah, e já pensei em não fazer nada, mas não tenho jeito para passar fome ;) beijinhos

Armando S. Sousa disse...

Vida de jornalista parece ser díficil!
Excelente post.
Um abraço.

Humor Negro disse...

Outra classe a quem perdi o respeito...

Periférico disse...

E para que lado é que pende a balança destes prós e contras? ;-)

Um abraço

noasfalto disse...

Armando, humor e periférico:

Os jornalistas tem que recuperar a credibilidade, hombridade e dignidade doutros tempos. Custe o que custar.

A balança está a virar-se contra eles...

Abraço