sexta-feira, 9 de fevereiro de 2007

Paranoico Referendo (obviamente)

Ultimamente o alarido à volta do referendo tem sido grande. Provavelmente já não irei a tempo de com uma fantástica capacidade persuasiva vos fazer mudar o sentido de voto, mas, a ideia era precisamente essa. Estudai, lei, informai-vos e, mais importante que tudo, ide votar.

Contudo não poderíamos ficar impávidos a assistir à batalha campal que grassa entre o sim e o não. Sem cartazes, sem filmes (chegam-me por e-mail filmes com campanhas, vejam lá – e eu não pedi nada a ninguém cabr*#” da mer”#), sem tambores e afins.

Assim, informamos que no Domingo, dia 11 de Fevereiro irei votar: Na minha terra, por volta do meio-dia.

Um último esclarecimento: não abordamos este assunto antes devido aos ânimos mais exaltados que praí andam. Não assusta dizem vocês?

Imaginem conversinha entre vizinhos:

Vizinho 1 (V1) – Olá vizinho(2)! Tá tudo bem, muita saúdinha?
Vizinho 2 (V2) – Olá amigo. Saúdinha, graças a Deus, não falta. E com o vizinho?
V1 – Está tudo bem, também com a graça de Deus. Ainda bem que o apanho…queria falar consigo por causa das árvores que tem aí no quintal. Sabe…é que elas deixam cair folhas no meu jardim… mas antes disso, que cabeça a minha, a sua esposa encontra-se bem?
V2 – Oh sim. Está tudo bem. Olhe, foi mesmo agora dar cabo duns fetos. Tratar da vida sabe?
V1 – Dar cabo duns fetos?? A sua esposa está boa da cabeça? Olhe que não deve estar! Aliás vou já ligar à polícia…cambada de assassinos.
V2 – Perdão? O senhor está bom da cabeça? Desde quando é que dar cabo duns fetos é crime? O senhor está doido?
V1 – Não diga mais nada…cale-se. Já vi que é desses que dizem que às 10 semanas não há vida. Mas olhe que já é uma criança. Com dedos, nariz e tudo. E é crime abortar. Eu trato já do assunto. Vocês vão ver o que é bom. E só as dores nas costas me impedem de ir aí dar-lhe uma coça. Eu havia de ser mais novo…partia-te todo.
V2 – ah ah ah ah
V1 – Ai o senhor ri-se? Espere que não perde pela demora!
V2 – Ó homem…ah ah ah…não é isso. A minha mulher foi dar cabo duns fetos no quintal…fetos, aquela planta…está a ver?
V1 – Ahhhh. Sim sim. Já sei qual é… é pá que vergonha a minha…desculpe, mil perdões.
V2 – Deixe lá. Foi um mal entendido…agora estava a falar das minhas árvores, que lhe deitam folhas pró jardim…
V1- Sim, pois, é isso. Queria dizer-lhe que ou as corta ou então…




E como esta outras semelhantes:

- Como raio acabaste com os que estavam fetos? (feitos).
- Isto está cheio de fetos! (defeitos)
- Quero um feto sim! (fettuccine)

4 comentários:

boleia disse...

:) se todas as conversas acabeassem a ter assim tanta piada ou se tudo nao fosse um pequeno mal entendido...
Bom fim de semana!

Haddock disse...

e não é que correu tudo bem?? Tens piada! Abraço!

ivan disse...

um gajo ausenta-se um ano e voces fazem logo obras de remodelação na casa???

Haddock disse...

Quê... não me digas que vamos ter de esperar por outro acto eleitoral!Abç.