sexta-feira, 23 de setembro de 2005

Deus, Foste tu que falaste? Por favor continua.








Após um longo período de tempo e de modo inesperado, como eu gosto, consegui a banda sonora do Kill Bill, Vol. I.

Já não sonhava com música tão bela, desde o Requiem do Mozart (composto certamente com ajuda de uma alguma força divina).

Tarantino sempre me impressionou bastante mas na altura não estava preparado para este filme. Comoveu-me e alegrou-me tanto a película que só saldei a dívida comigo próprio ao fim de três idas consecutivas ao cinema.

Sei que pode parecer disparatado mas simplesmente deliciei-me com a sua visão vingativa do mundo e entrei no turbilhão de emoções. Assim me perdi até ao inevitável “fim”.

Entretanto a banda sonora…atormentou-me. Com um poder e sonoridade insuportavelmente incrível, a dada altura, senti-me chorar. Se palavras bastassem e explicassem como queria que a música me invadisse, percorresse as minhas veias a toda a velocidade e seguidamente explodisse…transcendental, senti-me simultaneamente tão livre e leve …. e tão preso ao filme.


Hoje, de álbum na mão, dolorosamente tarde, pus pausadamente os auscultadores, o volume no máximo – insuficiente ainda assim - , deixei-me percorrer e fui com a música para onde ela quis.


Agora posso ver o Vol. II!

6 comentários:

moonj_Rita disse...

E é em cassete, é em cassete??? lol ;)

noasfalto disse...

moonj: Claro que é em cassete. E, por causa dos perigos e traições dos leitores já tenho 2.

Bj

kiko disse...

Sim, fui EU! :0) (hoje estou meio palhaço, ou completamente...) Abraço

Miguel de Terceleiros disse...

Tarentino que coincidência...

moonj_Rita disse...

Se quiseres arranjo-te a banda sonora do 2º também... Mas não tenho em cassete!

noasfalto disse...

Ok. Quando formos ao jantar?